16/02/05

Em breve neste espaço...

O programa-eleitoral do PS e a gravata do Sócrates.

15/02/05

Novo inquérito

Novo questionário de sanita ! vota e se quiseres comentar este post está cá para isso

só serão aceites respostas sinceras, que isto é um blog sério, feito por gente séria para leitores mais sérios ainda

Fim de inquérito

Segundo os dados do nosso inquérito a maioria esmagadora de visitantes/votantes do blog de sanita, não caga (são princesas). Será por isso que tanto gostam de ler sobre merda? será ignorância? pior do que este blog só mesmo os versos do entrudo que passo a citar uma das melhores quadras (se é que lhes podemos chamar isso)

"Os senhores da Capitania,
são uns grandes malandrões,
por isso para eles,
atiramos os nossos cagalhões"

(se não foi assim n foge muito ao original)

14/02/05

requiem p'lo peido - tomo 1: da sua superioridade face a fenómenos concomitantes

goza o nosso corpo da capacidade de produzir e expelir gases, de indole e proveniência diversos. aerofagias, flatos, ou os simples nomes que popularmente de divulgaram e difundiram: arrotos e peidos e sinónimos (bufa - termo um bocado roto aliás, sugerindo alguem cujo esfincter está meio nas lonas; traque, e afins.). uma palavra p'rós sempre hilariantes "peidos de cona", cuja categoria me merecerá algumas reflexões neste post.
os mais comuns, e com os quais convivemos dia-a-dia (os próprios e os emprestados...) são os tão familiares peidos e os arrotos. todos nós os damos, diversas vezes ao dia, nas mais variadas situações. é meu entendimento seguro que um arroto, embora tenha o seu valor e o seu digamos, carisma, nunca se poderá equiparar nem por aproximação à classe, ao charme, e porque não dizê-lo, ao carisma de um belo e sonoro peido rasgador. um peido é, a todos os titulos o imperador de todos os flatos, o senhor de todos os gases, o suserano das aerofagias.
como ja havia dito, supera-o em risco e em surpresa/imprevisibilidade.
em risco, porque simplesmente risco em sede de arroto n existe, ou é monosprezavel. qual é o risco de dar um arroto? existem alguns mas menores. o de ser ouvido por quem não devia e na altura errada. ou o de o arroto ser acompanhado de suco gastrico azedo, que pode conduzir ao vomito. ou de ser acompanhado do odor de gambá em decomposição, quando se comem determinadas iguarias, especialmente misturadas com alcool. agora, o risco que comporta a expelição de altivo e ribombante peido por nalguedo cagão, isso sim comporta riscos que só os mais bravos enfrentam. o 1º é o de determinar se o dito será sonoro ou silencioso, e livre de odor ou fétido(até poderemos ver nisto um jogo, uma especie de roleta russa da cueca. como poderemos chamar????? totopeido???? aceito sugestões....). este é um momento de elevado stress e tensão competitiva, uma especie de pocker do traseiro: o jogar observa a sua mão, e pensa "desisto??? subo a aposta???pago para ver???? estará o meu rabo a fazer bluff, e ao invés de um straight flush sonoro, tenho apenas uma merdosa sequência??? ou uma mão destituída de valor, à qual posso limpar o rabo???? como será?????"
determinado q esteja o nivel decibélico do flato, existem mais riscos a acautelar: é fétido ou aceitável, e sequinho ou teremos uma bavaroise pa limpar no fim do processo???? tais riscos e as situações que se deparam podem colocar o peidorrante em situações periclitantes. depois existe o risco de o peido ser realmente de odor abominável, o que terá grandes vantagens em certas situações (leia-se discotecas a abarrotar, ou manifestações do PCP na Baixa, em q um gajo se vê metido no meio sem saber como. nesse caso, toma lá um peido camarada, e corta o nariz com a foice se te está a ser indigesto). agora imaginem um daqueles terriveis, dado no pior momento: numa reunião, ou num taxi, ou ainda mais embaraçoso, no dentista: com a impressão da broca um gajo n se controla e tungas, fica um pivete nojento no consultório e o dentista com ar de quem vai vomitar as visceras. imaginem a vergonha...
a somar ao factor risco, existe o factor surpresa/imprevisibilidade. o nivel sonoro do arroto só n é controlavel por um arrotante amador. ou então foi um arroto imprevisto, de fim de lauta refeição, com coca-cola ou outra bebida com gás. já com os peidos apenas podemos determinar com alguma solidez o "se", agora o "quanto" é impossivel. só podemos determinar se o dito é sonoro mas nunca o quão, em extensão e em nivel sonoro, e muito menos o cheiro. aqui podemos só valermo-nos das tendencias, do género "hoje dei um na cama q ia morrendo, portanto ao longo do dia só pode piorar" ou " este foi quente, tá tudo estragado...".
uma palavra para os peidos de cona: são fenómenos que, como é sabido, resultam da entrada e retenção de ar na franga das gajas, qd em plena cópula com macho de cobrição. uma estocada mais profuna, e ouve-se o sempre bem-vindo som, um prrrrrffff em surdina, mas se suficientemente sonoro ocasiona estas reacções: os copulantes param, olham um para o outro, ele pergunta "isso foi..." e ela faz uma cara envergonhadissima e anui. ele desmancha-se a rir, ela cora e diz"oh pá, o que é que queres ????..." e faz cara de culpada. depois talvez se ria, mas em registo amarelado. é um fenómeno q vale p'la surpresa do momento, e pela oportunidade de gozar com a situação, mas inscreve-se em categorias de foro sexual, a que iremos um dia mas não é esta a ocasião.
e assim encerro o 1º capitulo desta espinhosa missão, a que voltarei em breve
espero que as divagações deste humilde escriba tenha sido do agrado dos seus leitores, pois é para eles especialmente, que ponho no eter esta humilde e despretensiosa prosa que ja vos vai sendo familiar
para todos vós os meus penhorados cumprimentos, e um grande bem-haja

01/02/05

Bombas de Mau Cheiro

Perto do Carnaval (época festiva e com vertentes escatológicas não despiciendas), venho discorrer um pouco sobre aquelas cagadas que, tal como as bombinhas de mau cheiro que a pequenada utiliza para empestar de tudo um pouco por volta do Entrudo, tornam qualquer apartamento, por mais espaçoso que seja, completamente inabitável por algumas horas.
Ainda este sábado, após uma farta jantarada à base da melhor comida tradicional - pizza, frango de churrasco, hamburgers com batatas fritas (de pacote e pré-congeladas) e lulas chinesas - um conviva (não referirei nomes para não ferir a honra de ninguém) colocou todos os presentes com olhar de detective, à cata de quem havia soltado o mais podre dos flatos - misto de odor a suinicultura com cadáver putrefacto -, quando na verdade se tratara de um caso de porta-do-wc-aberta-após-cagada-de-alta-intensidade.
O ar ficou de tal modo irrespirável que, quando abandonámos o imóvel (muito pouco tempo depois), tive de deixar a janela da casa-de-banho aberta, apesar das baixas temperaturas que se têm feito sentir.
Este caso trouxe-me à memória outro, passado em casa de um mui distinto colaborador deste blogue.
O morador, tendo embora largado lastro no 2º andar, empestou tanto ou tão pouco o ambiente doméstico, que todos os presentes em pouco tempo passaram a ausentes - incluíndo o cagão.
Episódios destes fazem-me pensar no grande contributo que os indivíduos mais capacitados na soltura de gases tóxicos poderiam dar ao progresso económico do nosso depauperado país: estas máquinas de merda poderiam encher bombinhas de mau cheiro ou trabalhar para empresas de bio-gás, aproveitando-se economicamente um recurso natural inesgotável.

Nova secção - sondagens

Caros leitores, o Blog de Sanita orgulha-se de apresentar a primeira de muitas sondagens neste espaço virtual, que felizmente não cheira. Está na sidebar as Sondagens de Merda